_

Líder do Solidariedade diz que partido não votará nada que prejudique o trabalhador

genecias 2016Para o novo líder do Solidariedade, deputado Genecias Noronha (CE), a bancada é contrária a qualquer projeto que prejudica o trabalhador e o aposentado.

Nascido no município cearense de Parambu, foi prefeito de sua cidade natal por dois mandatos e cumpre o segundo mandato como deputado federal.

Em entrevista à Agência Câmara, que está publicando entrevistas com todos os líderes de bancadas escolhidos ou reconduzidos neste ano, Noronha defende uma reforma tributária que diminua os impostos e se posicionou contrário à recriação da CPMF, mas ainda vai aguardar uma decisão da bancada.

Quais as prioridades da bancada em 2016?
Esperamos que o ano de 2016 seja um ano mais produtivo que 2015, já que 2015 foi um ano que é bom nem se lembrar. Fui indicado por aclamação na bancada do meu partido ao qual eu agradeço pelo apoio e vamos discutir nossas prioridades.

E com relação à recriação da CPMF? A bancada votará contra ou a favor?
Nós ainda não discutimos sobre a CPMF, mas pessoalmente sou contra. A sociedade não aguenta mais um imposto nas suas costas. Eu acho que há outras prioridades que poderiam ser adotadas pelo governo, que é ajustar, cortar na sua própria carne e reduzir custeio. O governo não fez a sua parte. Reduziu os ministérios, mas não cortou os cargos comissionados que existem no governo. Ficou só na falácia.

E a reforma da Previdência? O sr. já começou a conversar com sua bancada sobre essa reforma?
Não votaremos nada a favor daquilo que for contra o trabalhador. A nossa bancada, que tem como presidente o deputado Paulinho Pereira da Silva (SD-SP), que é um sindicalista, jamais iria votar a favor do que vier prejudicar a classe trabalhadora.

E a reforma tributária?
Concordo com a reforma tributária, desde que seja para diminuir os impostos que a sociedade já paga bastante. Nós vamos discutir alguns pontos com a bancada para definir um posicionamento.

E a prorrogação da DRU?
Nós ainda não discutimos. Decidiremos nas reuniões da bancada.

fonte: 'Agência Câmara Notícias'